MAGAZINE

Conferência discute Português como língua de negócios

Foto: O debate, mediado pelo embaixador do Brasil na Alemanha, Mario Vilalva, contou com a participação de Georgina Benrós de Mello (CPLP), Luís Antero Reto (IUL) e Klaus Günter Deutsch (BDI). ©Enio Moraes Júnior

“A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa é o espaço natural de aproximação entre nove países espalhados em quatro continentes, com uma população conjunta de 260 milhões de pessoas e com uma extensão territorial que ultrapassa 10 milhões de quilômetros quadrados”. Com estas palavras, o embaixador do Brasil na Alemanha, Mario Vilalva, abriu a conferência O Espaço Econômico da CPLP – Português como Língua de Negócios, na Embaixada do Brasil em Berlim, no dia 08 de maio.

Georgina Benrós de Mello, diretora geral da CPLP, destacou o valor da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa em 22 anos de atuação. “Hoje, juntos, formamos um espaço linguístico e cultural com um forte potencial geoestratégico e geoeconômico”, avaliou. A palestrante reconheceu, entretanto, que as trocas comerciais entre estas nações ainda são pouco expressivas.

Segundo a diretora, investir na superação de dificuldades constitui uma meta importante da instituição. “Existem áreas econômicas em forte expansão nos nossos países, sendo que, em muitos casos, deparamo-nos com carências ao nível dos recursos humanos em vários ofícios. É neste sentido que a nossa principal motivação é promover atividades que vão ao encontro das necessidades e das expectativas dos cidadãos dos Estados-membros da CPLP”.

Reforçando o papel integrador da Comunidade, a diretora assinalou que alguns países constam como Observadores Associados da CPLP: Eslováquia, Geórgia, Hungria, Japão, Maurícias, Namíbia, República Checa, República Oriental do Uruguai, Senegal e Turquia. Salientou ainda que, brevemente, outras nações passarão a integrar a lista.

O professor Luís Antero Reto, do Instituto Universitário de Lisboa (IUL), apresentou um ranking econômico das línguas e chamou à atenção para aspectos do Português. Observou que os custos de transação entre comunidades linguísticas diferentes estão avaliados, no mínimo, em 6% sobre cada operação. “É como se fosse um imposto, mais uma taxa”. Neste sentido, o palestrante reconheceu que, do ponto de vista dos negócios, países falantes de uma mesma língua têm maior potencial de colaboração.

O professor reforçou que as parcerias econômicas entre as nações constitutivas da CPLP precisam crescer. “O que temos menos, entre nós, é comércio”, reconheceu, sublinhando que aspectos como a mobilidade humana aparecem à frente das relações comerciais entre os nove Estados da Comunidade.

Debate

A conferência prosseguiu com um debate mediado pelo embaixador brasileiro, Mario Vilalva. Além dos palestrantes, participou do painel o diretor do departamento de investigação do Conselho de Administração da Confederação das Indústrias Alemãs (Bundesverband der Deutschen Industrie - BDI), Klaus Günter Deutsch.

Questões centrais e parelelas ao tema – integração entre cultura e comércio, possibilidade de certificação de produtos e parceria entre os países da CPLP em eventos internacionais – foram trazidas à tona nas falas dos três convidados e nas provocações do mediador. Em seguida, o debate foi aberto ao público.

“Ao nível institucional, estamos a caminhar para uma verdadeira comunidade de países e de povos de Língua Portuguesa”, avaliou a embaixadora de Cabo Verde, Jaqueline Pires. “Entretanto, é preciso avançar. E isto depende muito da vontade política dos nossos governos, mas também de nós todos, como cidadãos, como responsáveis”, observou, reconhecendo a importância de ampliar as relações comerciais, a mobilidade e a circulação entre bens e capitais entre os países da CPLP.

A conferência foi encerrada com as palavras do embaixador brasileiro. “Conseguimos, hoje, ir um pouco além do tema do nosso evento, abordando questões paralelas que não estavam no centro do nosso debate”, avaliou. Estavam presentes ao encontro os embaixadores de Angola, Alberto Moreira Neto; de Moçambique, Amadeu Samuel da Conceição; de Portugal, João Mira Gomes; conselheiros de países lusófonos, além de autoridades, professores e outros convidados.

O evento também celebrou o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP, ocorrido em 05 de maio. Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Principe e Timor Leste são os nove Estados-membros constitutivos da Comunidade.

 

Texto e foto: Enio Moraes Júnior (eniomoraesj@gmail.com)

 

  

 
Please reload

Enio Moraes Júnior

Enio Moraes Júnior é um jornalista e professor brasileiro que vive em Berlim desde 2017. Na capital alemã, trabalha com produção de conteúdo online e escreve sobre estrangeiros que povoam as ruas da cidade.

Please reload

Freunde von Berlinda e.V. , Heimstr. 3, 10965 Berlin - info@berlinda.org 

BERLINDA 2019 · All rights reserved