MAGAZINE

Portugal e Brasil podem empatar em jogos de estreia da Copa 2018

Foto: Fisht Stadium, em Sochi, na Rússia, onde a seleção de Portugal faz seu primeiro jogo, contra a Espanha. ©Divulgação / FIFA

“Em junho, estarei em Berlim bem durante a Copa do Mundo. Gostaria de dicas de lugares para acompanhar os jogos” ou “Onde vai ser bom para ver os jogos de Portugal no Mundial em Berlim”? Questões desse tipo, publicadas em grupos do Facebook, deixam claro que o clima da Copa do Mundo instaurou-se entre torcedores brasileiros e portugueses que vivem na capital alemã. Além destes, muitos angolanos, cabo-verdianos, moçambicanos e outros lusófonos que vivem na cidade estão na torcida por uma das duas seleções.

Portugal e Brasil são os únicos países de língua portuguesa que participam da Copa 2018. Nos primeiros dias, os torcedores devem ficar de olho no Luzhniki Stadium, em Moscou. O local é sede do primeiro embate do campeonato, no dia 14 de junho, com Rússia e Arábia Saudita em campo. Além deste, outros dois estádios merecem a atenção dos torcedores lusófonos: o Fisht Stadium, em Sochi, onde Portugal estreia contra a Espanha, no dia 15; e a Rostov Arena, em Rostov do Don, onde o Brasil faz seu primeiro jogo, contra a Suíça, no dia 17.

A portuguesa Sara Luz Perestrelo vive em Berlim e pretende ver a estreia da sua seleção em um bar de Neukölln ou Kreuzberg. Ela está na expectativa da vitória de seu país, mas deseja, sobretudo, assistir a um bom espetáculo. “Espero um jogo com ‘fairplay’ e bom ambiente entre adeptos portugueses e espanhóis. Já que este vai ser um ‘derby’ ibérico, que seja um bom exemplo dessa ligação”, comenta.

Rafaela Silva é brasileira e também mora na capital alemã. Ela vai acompanhar o primeiro jogo da seleção verde e amarela em clima de festa. “Amigos alemães e brasileiros estarão em minha casa, pois irei comemorar meu aniversário”. Entretanto, o placar do último Mundial, com o 7 a 1 contra a Alemanha, a preocupa. “Eu espero que o Brasil comece com uma linda vitória, mostrando que o que aconteceu na última Copa não se repetirá”, diz.

As duas avaliam que torcer pela seleção de um país estando em outro é especial. Rafaela afirma que o calor da torcida não chega a fazer falta, porque é sempre fácil juntar brasileiros em qualquer parte do mundo. Sara pensa de forma semelhante: “É muito bom encontrarmos conterrâneos portugueses espontaneamente e partilhar esse momento de alegria”.

Empate nos primeiros jogos

Os jornalistas Tiago Beato, português, e Thiago Cassis, brasileiro, são especialistas em futebol. Eles desconfiam que pode haver empate no primeiro jogo de cada uma das equipes lusófonas. Se depender dos prognósticos de Beato, editor do blog Relato, a seleção portuguesa pode sair-se bem. Ele espera uma partida equilibrada e tática contra Espanha. “Acredito que as duas equipas vão estar mais preocupadas em não perder do que propriamente em ganhar. Prevejo um empate ou que possa ser um rasgo individual a resolver o jogo para um dos lados”, avalia.

Cassis, editor da revista Pelota, está otimista em relação ao jogo do time brasileiro contra a Suíça. “Toda a estreia é uma partida complicada. Envolve expectativas, cobrança da imprensa, ansiedade dos jogadores... A seleção tem pela frente uma equipe famosa por ter uma defesa muito bem armada. Os suíços atravessaram recentemente uma Copa inteira sem tomar gols. Portanto, o Brasil é favorito, mas um empate não será uma surpresa nem uma tragédia”.

Beato acredita que a seleção portuguesa passará a fase de grupos. Entretanto, não é otimista em relação ao favoritismo do time para levantar a taça. “Nos oitavos-de-final, jogará com um adversário do grupo A e parece-me que são seleções ao alcance de Portugal. Apesar do estatuto de campeão da Europa e de acreditar que pode ir longe na prova, não me parece que seja um dos principais favoritos”. Por outro lado, ele reconhece que os brasileiros chegam à Rússia com o orgulho ferido, mas são um dos principais candidatos à vitória. “O Brasil de Tite é uma equipa muito forte, taticamente mais equilibrada e recheada de craques”.

 

O legado do 7 a 1

O trabalho de Tite é também destaque nas análises de Cassis. “Acredito que a seleção brasileira foi muito bem preparada pelo seu treinador. A geração é bem superior à da Copa anterior, que deixou terrível legado do 7 a 1 contra a Alemanha. Mas, se a seleção for bem na primeira fase, a história de conquistas do Brasil acaba pesando e os brasileiros podem chegar longe”, analisa, destacando a presença de nomes como Philippe Coutinho, Gabriel Jesus, Firmino e Marcelo na equipe.

“A seleção de Portugal vem de sua maior conquista na história do futebol do país, o título da Eurocopa de 2016. Foi um título heroico, que veio de uma vitória sobre a França, anfitriã daquele torneio. Junte a isso o fato de ser a última chance de Cristiano Ronaldo, um dos maiores jogadores de todos os tempos, disputar uma final de mundial”, diz Cassis. No entanto, assim como Beato, o jornalista brasileiro reconhece que, apesar da confiança e do empenho dos portugueses, o grupo não está entre os principais favoritos para erguer a taça.

Na primeira fase do Mundial, Portugal joga ainda contra Marrocos (dia 20 de junho) e contra o Irã (dia 25). O Brasil, por sua vez, enfrenta a Costa Rica (dia 22) e a Sérvia (dia 27). Entre empates, derrotas, vitórias, conquistas, a Copa do Mundo da Rússia só termina no dia 15 de julho. Mais informações podem ser acessadas no site da FIFA.



 

Reportagem: Enio Moraes Júnior (eniomoraesj@gmail.com)

 

  

 
Please reload

Enio Moraes Júnior

Enio Moraes Júnior é um jornalista e professor brasileiro. Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (Brasil), vive em Berlim desde 2017. Apaixonado por gente e por boas histórias, trabalha com produção de conteúdo online em língua portuguesa, cobre eventos culturais e escreve sobre estrangeiros que povoam as ruas da capital alemã.

Please reload

Freunde von Berlinda e.V. , Heimstr. 3, 10965 Berlin - info@berlinda.org 

BERLINDA 2019 · All rights reserved