MAGAZINE

"Como nossos pais", de Laís Bodanzky no Favourites Film Festival em Berlim

O passado dia 20 de outubro foi para mim um dia excecionalmente caótico, que, no entanto, terminou da melhor forma possível: com uma boa dose de cinema. O filme que assisti no City Kino Wedding, no âmbito do festival de cinema Favourites Film Festival, foi "Como nossos pais" (2017), filme brasileiro de Laís Bodansky que teve a sua estreia mundial na Berlinale, em Fevereiro passado.

 

O Favourites Film Festival reúne uma compilação de filmes preferidos e mais votados pelas audiências de diversos festivais de cinema pelo mundo fora.  "Como nossos pais" foi o único filme lusófono no programa deste festival. Não existem restrições em termos de género e a organização procura mostrar a maior diversidade possível, tendo exibido filmes que tinham como língua original o espanhol, o português, o ucraniano e o flamenco, entre outros.

 

Infelizmente não se pôde contar com a presença física da realizadora Laís Bodanzky nesse dia, como havia sido planeado. Contudo, a realizadora preparou um curto vídeo, que foi mostrado antes do início da sessão, em que apresentava o filme e lançava um desafio à audiência: a reflexão final para decidirmos com que personagem do filme mais nos identificávamos.   

Tendo em conta a correria e azáfama em que andei nesse dia, naquele momento senti que me identificava mais com a personagem da mãe, a Rosa, mas quem mais me encantou com a sua visão utópica e romântica do mundo foi Homero, o pai de Rosa.

 

O filme "Como nossos pais" segue a vida de Rosa e da sua família em São Paulo. Rosa é uma mulher que procura alcançar a perfeição e equilíbrio em todas as facetas da sua vida. O espetador acompanha o seu dia-a-dia e conflitos familiares, que a levam a chegar à conclusão que essa “vida perfeita” que idealizava não se cruza com os seus verdadeiros sonhos.

Um filme leve, com vários momentos deliciosos de humor, mas que nos faz questionar as pressões sociais impostas a esta mulher, enquanto mãe, filha, profissional, esposa e amante.

 

No final da sessão, todos os presentes foram convidados a dar uma cotação de uma a cinco estrelas ao filme. O filme que obtivesse mais votos seria o grande vencedor e seria novamente exibido no último dia do festival. Este ano, o público decidiu eleger o documentário "The silence of others", uma cooperação EUA-Espanha, de Almudena Carracedo e Robert Bahar.    

09/10/2018

Foto: © Laís Bodanzky/ Promo

Mariana Lima

Mariana é fascinada por línguas e expressões idiomáticas. Tradutora de profissão, tem um espírito de curiosidade aguçado. Por vezes sente-se culpada por não aproveitar melhor a oferta cultural da cidade. Chama casa a Berlim desde 2014. 

Freunde von Berlinda e.V. , Heimstr. 3, 10965 Berlin - info@berlinda.org 

BERLINDA 2019 · All rights reserved