MAGAZINE

Bixiga 70 em Berlim para lançamento do novo álbum „Quebra Cabeça" 

Os Bixiga 70 estão de volta a Berlim para um concerto dia 30 de Outubro no Yaam.  A banda brasileira de afrobeat lançou o primeiro álbum em 2011, ("I"), depois surgiu mais um disco em 2013, ("II") e o terceiro em 2015, ("III"). Bixiga 70 lançaram este ano o seu novo trabalho, "Quebra Cabeça" - o primeiro com um título – que vêm apresentar na capital alemã. 

A banda esteve em Berlim em 2014, onde actuou na Copa da Cultura 2.0 (Haus der Kulturen der Welt), um evento que decorreu em paralelo com a Copa do Mundo. Esta foi a primeira vez que os Bixiga 70 estiveram em Berlim, uma cidade que, confessaram, lhes despertava “uma grande expectativa”. No âmbito do evento, a Berlinda entrevistou Daniel Gralha, trompetista dos Bixiga 70, banda originária de São Paulo.

 

Os Bixiga 70 tinham acabado de lançar o seu segundo álbum.  Na altura, a Copa do Mundo, cujo país anfitrião era o Brasil, era o tema do momento e dividia opiniões, com críticas e ataques na imprensa e várias manifestações a acontecer (e também alguns actos de vandalismo pelo meio, como na Embaixada do Brasil em Berlim não escapou ao descontentamento dos manifestantes). Daniel Gralha explicou a posição da banda: “todos somos a favor das manifestações. E não por sermos contra a Copa propriamente dita – pode parecer contraditório o meu discurso mas isso se dá pela complexidade do assunto – o fato é que enxergamos essas manifestações como sendo uma nítida continuidade do levante ocorrido a partir de maio / junho de 2013. E essa postura mais ativa é algo muito positivo pra nossa identidade brasileira, algo há muito tempo esperado pelas novas gerações. Há muito tempo não víamos reivindicações populares com tanta força. Ataques a embaixadas, agressões, vandalismo, isso já é outro assunto. Essa é uma questão mais delicada até porquê é de ciência de todos que alguns desses equívocos foram/são cometidos por pessoas infiltradas no intuito de deslegitimar as manisfestações. Muito da estratégia de ação do levante popular precisa ser melhorado, mas isso não diminui sua legitimidade.”

Daniel Gralha referiu também que São Paulo é uma cidade da arte por natureza “Por diversos motivos a cidade de São Paulo é, em sua história, um dos principais destinos de migração desses diferentes “povos” que integram nossa nação, assim como também foi e ainda é um dos principais destinos de imigração de povos de outros cantos do mundo. A mistura é uma característica que o Brasil carrega em sua genese, e isso São Paulo tem de forma acentuada. Uma das consequências diretas disso é uma arte também pluralizada, e muito original, ímpar”.

Releia a entrevista completa aqui

Concerto Bixiga 70 - 30.10.2018, 19h

YAAM - An der Schillingbrücke 3, 10243 Berlin

28/10/2014

Foto: © Bixiga 70 | Divulgação

Freunde von Berlinda e.V. , Heimstr. 3, 10965 Berlin - info@berlinda.org 

BERLINDA 2019 · All rights reserved