MAGAZINE

69. Berlinale: a lusofonia no grande ecrã do Festival de Cinema de Berlim

06/02/2019

Foto: Serpentário, Carlos Conceição (Angola/ Portugal) © Mirabilis, 2019

O programa da 69. Berlinale está fechado e conta com uma lista considerável de produções lusófonas para ver. Um dos mais aguardados, ainda que fora de competição, é o filme “Marighella”, estreia na realização do conhecido actor brasileiro Wagner Moura. Logo depois há outro nome grande do cinema brasileiro: Marcelo Gomes. O realizador traz este ano “Estou Me Guardando Para Quando O Carnaval Chegar” à mostra Panorama. Recorde-se que, em 2017, o seu filme “Joaquim”, produção Luso-Brasileira, esteve na competição para o Urso de Ouro. “Greta”, de Armando Praça, (Brasil), "Divino Amor", de Gabriel Mascaro (Brasil / Uruguai / Chile / Dinamarc/ Noruega/ Suécia) e "La Arrancada", de Aldemar Matias (Cuba/França/Brasil), estão seleccionados na mesma secção.

 

O programa Generation apresentará uma longa brasileira: “Espero tua (re)volta“, de Eliza Capai. Há também duas curtas lusófonas em competição: “Past Perfect”, de Jorge Jácome, (Portugal) e “Rise”, de Bárbara Wagner, Benjamin de Burca, (Brasil / Canadá / USA), dupla que esteve presente com “Estás vendo coisas” nas Berlinale Shorts de 2018.

Na secção Forum estão outros quantos filmes: “A Portuguesa”, de Rita Azevedo Gomes (Portugal),,  “Serpentário”, de Carlos Conceição, (Angola / Portugal), “Querência”, de Helvécio Marins Jr. (Brasil/ Alemanha), “Rosa Azul de Novalis”, Gustavo Vinagre, Rodrigo Carneiro, (Brasil), "Chão", de Camila Freitas, "O Ensaio", de Tamar Guimarães.

 

O cinema brasileiro estará mais uma vez em força no certame, enquanto o cinema português mantém uma participação discreta mas com novos protagonistas. Carlos Conceição traz à 69. Berlinale um cheirinho de Angola no seu “Serpentário”, a sua primeira longa, e assim se fecha o trio de países lusófonos participantes no certame: Brasil, Portugal e Angola.

 

No Berlinale Talents participam 3 portugueses e 16 brasileiros, entre eles: Susana Santos Rodrigues, produtora, programadora e cofundadora da distribuidora VAIVEM; Mauro Soares, actor, participa no filme “A Portuguesa” de Rita Azevedo Gomes, seleccionado na secção Forum deste ano, Gonçalo Almeida, realizador, Manuela Falcão, realizadora da equipa de “Tinta Bruta”, seleccionado na secção Panorama, Fernanda Pessoa, Realizadora ou Victor Guimarães, jornalista e crítico de cinema.

Será também apresentado o documentário “Aurora”, co-produzido pelo português Pedro Duarte no evento “Project Lab – Doc Station”. De salientar também a presença de Ivo M. Ferreira, que volta a Berlim desta feita com uma série: “Sul”, será mostrada no European Film Market. O realizador português apresentou em 2016 "Cartas da Guerra" na competição do Festival.

 


Fonte: Press Releases Berlinale

Freunde von Berlinda e.V. , Heimstr. 3, 10965 Berlin - info@berlinda.org 

BERLINDA 2019 · All rights reserved